Envios Gratuitos em encomendas nacionais superiores a 150€

18 de Outubro, 2021

Sagrado feminino. É provável que já tenha ouvido este termo antes, mas será que sabe o que significa? Esta filosofia espiritual procura honrar os atributos femininos da alma humana, representando uma conexão consigo mesma e uma consciencialização da essência cíclica do corpo feminino, da força da mulher e da sua capacidade de gerar vida. 

Não se sabe ao certo quando surgiu este movimento, mas acredita-se que tenha nascido na Idade Média. O conceito de energia feminina sagrada defende a existência de uma energia espiritual divina dentro de todas nós. O feminino está presente em todos os seres do planeta, quer nos identifiquemos como masculinos, femininos ou não binários, da mesma forma que a energia masculina está presente em toda a existência. 

Por vezes, ficamos tão focadas no que acreditamos que devemos fazer que deixamos de ouvir a nossa intuição. A energia sagrada feminina é a chave para reencontrarmos a nossa deusa interior e criarmos um mundo mais compreensivo. Siga as dicas abaixo e reconecte-se com a sua feminilidade e com as suas possibilidades ilimitadas. 

1. Passe mais tempo na Natureza. 

Esta filosofia defende que toda a Natureza é obra do feminino. Por isso, quanto mais tempo passar perto dela, mais conectada se sentirá com a sua energia. Acorde de manhã e ande descalça na terra. Respire ar puro e aprecie cada particularidade dos elementos que a rodeiam. À noite, conecte-se com a energia pura da Lua e deixe a sua luz brilhar sobre si. Aprecie todas as criações da Mãe Natureza em silêncio e perceba como isso a traz para o momento presente. 

2. Respeite o que está a sentir. 

Fomos ensinadas a reprimir o que sentimos. Respeitar as suas emoções em vez de as tentar esconder é essencial, pois aquilo que está a sentir continuará a existir. Por norma, as mulheres falam abertamente sobre os seus sentimentos com outras mulheres, ao passo que os homens tendem a evitar expressar o que sentem porque lhes foi dito que isso seria um sinal de fraqueza. Não precisa de fingir que está tudo bem quando, simplesmente, não está. Aceite aquilo que está a sentir e permita-se fazê-lo sem qualquer juízo de valor. 

3. Conecte-se com o seu corpo.  

A forma como os outros criticam o nosso corpo faz com que nós próprias o julguemos por não ter uma determinada forma. É importante trabalharmos no sentido de eliminar a energia estagnada no nosso corpo físico para que nos possamos conectar com ele de um modo mais gratificante. Nutra o seu corpo com muita água, durma bem e evite tudo aquilo que possa trazer mais stress à sua vida. Medite, caminhe, pratique yoga. Explore e honre a sua sexualidade. 

4. Confie na sua intuição 

Já todas ouvimos falar de intuição feminina. Segundo os ensinamentos do Sagrado Feminino, esta é um presente divino que se opõe à lógica, uma característica tipicamente masculina. A vida moderna obriga-nos, muitas vezes, a priorizar o mental e a não ouvir a nossa voz interior, mas é fundamental valorizarmos a nossa intuição para que, antes de termos as respostas na mente, as consigamos sentir no corpo. 

5. Crie o seu ritual sagrado. 

Crie os seus próprios rituais sagrados para apurar os seus sentidos, aprimorar a sua intuição e relaxar o corpo e o espírito sempre que desejar. Acenda uma vela antes de meditar, queime um incenso, tome um duche revigorante e mantenha alguns cristais perto de si.  

6. Aprenda a ouvir. 

Será que temos andado a ouvir o suficiente? Quão boas somos a escutar o outro? Ouvir ativamente é difícil, especialmente num mundo onde todos querem que as suas necessidades sejam atendidas no imediato, sem precisar de prestar atenção ao que os outros estão a tentar dizer. Se observarmos e ouvirmos atentamente a mensagem que os outros estão a transmitir, conseguiremos entender muito daquilo que, até então, não tinha sido compreendido. Pratique a empatia, a compaixão e o perdão. Tudo o resto fluirá. 

Related Posts