Envios Gratuitos em encomendas nacionais superiores a 150€

25 de October, 2021

Costuma lembrar-se do que sonha? Ou pertence ao grupo das pessoas que afirmam nunca se recordarem do que o ecrã do cérebro exibe durante o sono? Independentemente da resposta, saiba que existem factos transversais a todos nós.

O sonho é uma fase do sono na qual gastamos uma parte considerável da nossa vida. E ainda que já tenham sido efetuadas múltiplas pesquisas na área – sonhar é o estado cognitivo mais estudado –, os especialistas ainda se encontram bastante divididos no que diz respeito à obtenção de respostas mais conclusivas acerca dos significados dos sonhos. Enquanto alguns cientistas defendem que estes não significam nada, outros creem que existe alguma mensagem a subentender.

A teoria psicanalítica entende os sonhos como formas de representação de desejos pertencentes ao plano do inconsciente, ao passo que a teoria da ativação-síntese sugere que os sonhos são apenas produto do processamento de memórias e emoções por parte do cérebro. De acordo com a neurocientista e especialista em sono da Emma, Dra. Verena Senn, “sonhar é importante para processar emoções que tivemos durante o dia e contribui para a consolidação de memórias com grande carga emocional, funcionando como um mecanismo de resolução de problemas que simula o mundo real enquanto dormimos. É importante obtermos a quantidade certa de sono de qualidade para sermos capazes de ter uma boa experiência de sonho”.

Um sonho é sempre uma espécie de simulação que nos ajuda a preparar para situações da vida real. Durante o sono, o sonho faz uma limpeza da informação inútil, deixando que o cérebro liberte espaço para criar memórias, emoções e sensações naturais de um novo dia.

 
AS FASES DO SONO

As diferentes fases do sono são caracterizadas pela presença ou ausência de movimentos oculares específicos, apelidados de Movimento Rápido dos Olhos (Rapid Eye Movement). Estas fases dividem-se em N-REM e REM, sendo que a fase N-REM consiste em três subfases chamadas N1, N2 e N3.

Antes de entrarmos no sono REM, passamos pelas subfases N-REM: a N1 dura apenas 1 a 5 minutos, a N2 leva cerca de 25 minutos no ciclo inicial e estende-se a cada ciclo sucessivo e a N3 é a fase mais longa, que dura entre 20 a 40 minutos.

Ao fim de 90 minutos de sono, entramos no sono REM, que dura cerca de 10 minutos. Após o primeiro ciclo, cada estágio REM que se segue torna-se cada vez mais longo, continuando durante toda a noite.

 
QUANDO É QUE OCORREM OS SONHOS?

Os sonhos ocorrem durante todas as fases do sono, mas os mais estranhos acontecem durante a fase do sono REM, na qual o nosso corpo está paralisado enquanto o cérebro se mantém ativo. Os cientistas do sono Eugene Aserinsky e Nathaniel Kleitmann, da Universidade de Chicago, descobriram que as pessoas costumam ter memórias vívidas dos seus sonhos quando acordadas durante essa fase do sono.

 
Por que motivos nos esquecemos dos sonhos?

Quando não dormimos o suficiente de forma consistente, a quantidade de sono REM diminui, tornando mais difícil lembrarmo-nos dos sonhos no dia seguinte. Geralmente, os sonhos desaparecem rapidamente depois de acordarmos, mas é possível que alguns dos seus elementos sejam lembrados no final do dia. Se pretender recordar-se dos seus sonhos, mantenha um diário perto de si, para que possa registar o que sonhou imediatamente ao acordar, antes que essas memórias desapareçam.

 
O PORQUÊ DOS SONHOS

A comunidade científica acredita que os sonhos refletem simbolicamente experiências de vida perturbadoras e que podem reorganizar a memória e melhorar a recordação de informações relevantes, mas ainda não existe um consenso quanto à sua causa. 

Alguns especialistas acreditam que sonhar controla diretamente a atenção, desperta sentimentos e melhora a flexibilidade de pensamento pós-sonho, bem como as reações emocionais. Pese embora o propósito deste fenómeno não seja totalmente compreendido, a importância que lhe é atribuída é consensual, acreditando-se que é fundamental para o processamento da memória e para regular o humor.

Enquanto os sonhos N-REM são influenciados pelos eventos do dia anterior, os sonhos REM são influenciados por memórias e aprendizagens do passado. Todos eles são uma representação consciente da memória e do processamento emocional, que ocorre enquanto dormimos. Segundo a neurociência, os sonhos lidam com as experiências emocionais do dia a dia, relacionando-as com experiências passadas e integrando-as à sua autoimagem.

 
FACTOS SOBRE O QUE SONHAMOS

De acordo com os especialistas, saiba que:

  • Nem todos sonhamos a cores, sendo que cerca de 11% das pessoas tem sonhos a preto e branco;
  • Os sonhos negativos são mais comuns do que os positivos;
  • É mais provável lembrar-se do que sonha ao fim de semana, pelo facto de estar mais relaxada;
  • Sonhar com algo estranho acontece porque a parte do cérebro responsável por dar sentido às coisas está desligada;
  • Grande parte do que sonhamos está relacionado com eventos do dia anterior;
  • Os rostos que visualizamos pertencem a pessoas que vimos anteriormente;
  • Pessoas invisuais também veem imagens nos seus sonhos;
  • Todos nós sonhamos – até mesmo os animais.

Existem técnicas que nos permitem controlar os sonhos, possibilitando uma experiência apelidada de sonho lúcido. Mesmo o mais bizarro dos sonhos, será perfeitamente natural. Se raramente se recorda daquilo com que costuma sonhar, experimente deitar-se esta noite com a consciência de que a sua intenção é lembrar-se do que sonhou. Provavelmente, ao acordar, virão à tona as memórias mais recentes. Em contrapartida, se em algum momento os seus sonhos lhe estiverem a causar stress ou ansiedade, considere falar com um médico.

 

 


 

MELHORE O SEU SONO COM OS NOSSOS PRODUTOS:

 

Related Posts