Dez Dicas Para Ser Saudável Em Viagem (e Poupar Dinheiro)

Depois de uma estadia de um mês e meio no Equador, tendo estado no Peru, com planos para seguir até à Bolívia, passando pelo Chile e terminando no Brasil (pelo menos, por agora), Dora Matosblogger de lifestyle e de vida saudável — reservou algum do seu tempo para nos revelar, na primeira pessoa, o segredo para se ser saudável enquanto se corre mundo. Não existe uma fórmula milagrosa, mas existem os conselhos desta alma indomável que não para de voar. “Conhecer a cultura local e os pratos típicos de um país é maravilhoso e incentivo que o façam”, diz-nos Dora. E nós concordamos. Abaixo, encontre o artigo de uma das mais aventureiras bloggers portuguesas.

A gastronomia é uma parte fundamental de qualquer viagem. Se viaja por longos períodos de tempo e se gosta de moderar as suas escolhas enquanto o faz, tome nota de algumas dicas práticas que a podem ajudar a si, à sua forma física e à sua carteira.

Snacks, sempre à mão!

Antes de viajar, compre ou faça barras de cereais, bolachas naturais sem açúcar, barras de proteína, frutos secos, queijinhos light e bolachas de água e sal. Nunca leve a mala sem comida e sem água. Estes alimentos geralmente vão na mala de mão e não causam problema, mas é sempre bom averiguar as regras de imigração de cada país. No meu caso, nunca surgiram problemas neste tema.

Pequeno-almoço completo: check.

Escolha um hotel que ofereça um pequeno-almoço completo: ovos, frutas frescas, panquecas, iogurte, pão integral, cereais, aveia, etc. Evite os cereais coloridos, os biscoitos amanteigados, a manteiga e os bolos. Nunca saia do hotel sem tomar um bom pequeno-almoço. E quando o hotel não apresenta essa opção ou quando tem de sair de madrugada, prepare a sua própria primeira refeição do dia (costumo preparar papas de aveia). Na mala, leve sempre flocos de aveia (algo fácil de encontrar nos supermercados), chocolate preto com mais de 70% de cacau, canela e fruta da época para acompanhar. É uma ótima ajuda e dá sempre muito jeito.

Escolha opções saudáveis para o almoço e para o jantar.

Tente, sempre, combinar uma opção económica com uma mais saudável. Se a comida contém molhos e temperos, escolha os mais naturais e acompanhe com água ou sumos de fruta naturais. Doces e refrigerantes são algo a evitar. No Equador ou no Peru, por exemplo, os menus custam entre €1,50 e €5,00 por pessoa e incluem sempre sumos de fruta naturais. Costumo pedir sempre sem açúcar. 

Divida o menu com outra pessoa.

Em muitos países, as doses são enormes (e baratas!), como por exemplo no Peru. Lá, ficamos satisfeitas por metade do preço. As doses mais em conta variam entre os €3,00 e os €6,00, aproximadamente.

Beba muitos sumos de frutas e coma fruta da época e da região.

Em muitos países da América e da Ásia, os sumos de frutas são muito mais típicos e abundantes do que na Europa (além de mais baratos). São uma excelente forma de tomarmos as nossas vitaminas diárias. Aproveite sempre as frutas da região, que além de estarem muito mais saborosas, são também muito mais baratas do que as que não são típicas da região.

Prepare os seus snacks para levar no caminho.

Além de poupar dinheiro, se preparar os seus snacks consegue comer aquilo que realmente quer, porque é confecionado por si. É fácil encontrar ovos e abacate nos supermercados. E estes são sempre uma maneira de comermos mais saudável. Em muitos países, vale a pena comprar sandes pelo caminho, frutos secos… Há muitas senhoras que os vendem na rua. É aproveitar!

Prepare as suas refeições.

Há muitos hotéis com cozinha. Aproveite esse facto para preparar as suas massas com vegetais e atum, um arroz três delícias ou uma tortilha de camarões.

Evite comer doces.

Por vezes, comemos doces por comodismo ou porque estamos na nossa rotina. O facto de estar em viagem, ajuda-me a não comer tantos. Sou fiel às minhas cinco refeições diárias, com alimentos naturais e variados.

Não exagere no álcool e beba muita água.

Sempre que chega a um destino, compre um garrafão de água. Além de poupar dinheiro, também poupa em plástico, porque lhe permite encher a sua garrafa portátil.

Nota: na maior parte dos países tem mesmo de comprar água engarrafada, não há outra opção. Principalmente nos países de terceiro mundo. A opção mais amiga do ambiente que até à data consegui encontrar, é esta.

Caminhe (ou corra) e use a bicicleta, sempre que possível.

Estas são formas fáceis de exercitar o corpo, de conhecer bem o sítio onde está e de ser amiga do planeta. Aproveite os jardins e o bom tempo para dar uma corrida. Costumo fazê-lo e acabo sempre por conhecer coisas novas e por me sentir renovada!

Instagram: @doramatosblog

Facebook: @doramatosblog

Leia mais em: doramatos.com

Ler Mais
Scroll to Top