Verdades Ocultas Sobre o Que Sonhamos à Noite

Costuma lembrar-se do que sonha? Ou pertence ao grupo das pessoas que afirmam nunca se recordar do que o ecrã do cérebro exibe durante o sono? Independentemente da resposta, saiba que existem factos transversais a todas nós.

O sonho é uma parte do sono na qual gastamos uma parte considerável da nossa vida. E ainda que já tenham sido efetuadas múltiplas pesquisas na área – sonhar é o estado cognitivo mais estudado – os especialistas ainda se encontram bastante divididos no que diz respeito à obtenção de respostas mais conclusivas acerca dos significados inerentes a cada sonho. Enquanto alguns cientistas defendem que estes não significam nada, outros creem que existe alguma mensagem a subentender.

A teoria psicanalítica, por exemplo, entende os sonhos como formas de representação de desejos pertencentes ao plano do inconsciente, ao passo que a teoria da ativação-síntese sugere que os sonhos são apenas produto do processamento de memórias e emoções por parte do nosso cérebro.

Teorias à parte, na sua génese um sonho será sempre uma espécie de simulação que nos ajuda a preparar para determinadas situações que aconteçam na vida real. Durante o sono, o sonho equivale a uma limpeza da informação inútil do dia, deixando que o cérebro liberte espaço para criar memórias, emoções e sensações naturais de um novo dia.

Desta feita, se pretende ficar a conhecer alguns factos curiosos sobre o que sonhamos, de acordo com os estudiosos da matéria, saiba que:

Nem todos sonhamos a cores, sendo que cerca de 11% das pessoas tem sonhos a preto e branco;

Os sonhos negativos são mais comuns do que os positivos;

É mais provável lembrar-se do que sonha ao fim de semana, pelo facto de estar mais relaxada;

Sonhar com algo estranho acontece porque a parte do cérebro responsável por dar sentido às coisas está desligada;

Grande parte do que sonhamos está relacionado com eventos do dia anterior;

Os rostos que visualizamos pertencem a pessoas que vimos anteriormente;

Pessoas invisuais também veem imagens nos seus sonhos;

Todos nós sonhamos – até mesmo os animais;

Existem técnicas que nos permitem controlar os sonhos (possibilitando uma experiência apelidada de «sonho lúcido»).

Na ausência de respostas objetivas acerca do porquê de sonharmos, a certeza é somente uma: mesmo o mais bizarro dos sonhos, será perfeitamente natural. Se raramente se recorda daquilo com que costuma sonhar, experimente deitar-se esta noite com a consciência de que, desta vez, o seu intuito é lembrar-se do que sonhou. Provavelmente, ao acordar, verá que essa foi uma exceção à regra.

Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.