Tudo Sobre a Gelatina

O que é para si a gelatina? Uma sobremesa doce? Uma coisa de dietas? Uma fonte de açúcar? Ou uma fonte de proteína? Afinal, de onde vem a gelatina? São muitas questões, bem sabemos. Por isso, se tem interesse em alguma delas, continue a ler.

A gelatina que mais se comercializa é de origem animal. Trata-se de um extrato de colagénio que vem do tecido conjuntivo de animais, mais propriamente de ossos esmagados e peles de bovinos, suínos e peixes. Assim que o colagénio é isolado, o mesmo é tratado, passando por um processo de hidrólise, sendo o produto final um pó incolor e solúvel que é esterilizado. A gelatina é, portanto, considerada segura pela FDA (Food and Drug Administration).

Mas será que em termos nutricionais este alimento possui algum benefício? A verdade é que estamos a falar de uma proteína. Se lhe for adicionado açúcar, naturalmente o caso mudará de figura.

A par de tudo isto, importa destacar que a gelatina é também útil para a pele, pois fornece-lhe glicina e prolina, dois aminoácidos que são utilizados na produção de colagénio, que é, por sua vez, um dos elementos estruturais primários da pele.

Por outro lado, a gelatina é muitas vezes um escape para quem está a tentar controlar o que come, já que ao ter proteína acaba por saciar. O seu sabor doce, que agrada a muitos, bem como o facto de ter a capacidade de conferir uma consistência mais sólida a determinados preparados, permite que a digestão demore um pouco mais, daí estar tão associada a dietas.

Importa não consumir este tipo de produtos em demasia, uma vez que são ricos em aditivos químicos, como acidulantes, reguladores de acidez, corantes e aromas artificiais. Se lhe faz confusão a gelatina ser de origem animal (pele de porco, por exemplo) tem sempre a opção de gelatinas vegetais. Regra geral, estas são feitas de algas, como a ágar-ágar, por exemplo. Existem também marcas de gelatina vegetal comercializadas com aromas, para que sejam feitas em casa de forma instantânea. Pode também optar por comprar o ágar-ágar em pó para fazer a gelatina caseira com fruta, ou sobremesas (como bavaroise ou panacota).

Deixamos-lhe uma outra dica: uma vez que a gelatina (animal ou vegetal) confere consistência, use a gelatina ágar-ágar em substituição do ovo ou até mesmo para servir de emulsionante, em gelados.

Ainda Sem Comentários

Comentários fechados