Dormir Com os Anjos

Para as que gostam da noite e de se deitar tarde; para as que enviam mensagens madrugada fora; para as “trabalhólicas” que não querem fazer pausas; paras as que vão à discoteca e regressam depois do Sol nascer… é a todas vós que dedicamos este artigo.

“Quando cai a noite na cidade”… tudo o que queremos é continuar ativas. Graças aos novos paradigmas sociais, vivemos numa cultura que nos influencia a desconsiderar o descanso e o sono, valorizando a vida profissional e colocando-a acima de todas as outras áreas da nossa existência. Primeiro, focamos a nossa atenção nas 24 horas do dia; depois, nos sete dias da semana. E grande parte desta realidade prende-se com o facto de a noite se assumir enquanto nave-mãe da prolongação de prazeres mundanos – é dela que nos servimos, em larga medida, para momentos de lazer (e de prazer).

Veja-se a premissa “mente sã em corpo são”. A doutrina é da velha-guarda e todas a conhecemos e defendemos com afinco. A questão é que para que esse equilíbrio aconteça, não bastam a alimentação regrada e a prática de desporto: é importante dormirmos bem, para uma vida melhor.

A bem da verdade, cada vez dormimos menos. Não importa a idade ou o continente: a noção de limite está cada vez mais desvanecida e tudo isso culmina não só em insónias, mas também em síndromes do sono mais raras. Dormir pouco pode originar problemas como a hipertensão arterial, o risco de diabetes tipo II, a depressão, o risco de obesidade, entre outros.

Se o nosso corpo é o nosso instrumento de trabalho, devemos cuidar dele. Privarmo-nos do sono torna a nossa memória mais lenta, conduz a lapsos de atenção e a humores depressivos.

Dormir é, indubitavelmente, essencial para saúde, porque quando dormimos o nosso cérebro deixa de estar “preocupado” com o exterior e passa a concentrar-se exclusivamente em si próprio e no corpo.

Seguindo esta linha de pensamento – e para viver melhor – existem alguns conselhos a seguir:

Não dormir com as persianas abertas;

Não ver as horas, se acordar a meio da noite;

Não fazer esforços para adormecer (levante-se e faça uma atividade tranquila; volte para a cama quando sentir sono);

Tirar os relógios do quarto;

Simplificar as tarefas do seu quotidiano ou pedir ajuda quando tem muitos objetivos para cumprir;

Depois de jantar, não ver televisão na cama nem adormecer a olhar para o ecrã.

Se esta é uma das temáticas que lhe interessam, a Frederica tem para si uma sugestão que poderá revelar-se uma verdadeira amiga: o livro Bom sono, boa vida, de Teresa Paiva. Trata-se de um guia para dormir melhor, onde encontra respostas para todos os casos que se pautam por dificuldades ao dormir – literalmente, todos os casos. Abordando múltiplos temas, como as diferenças do sono entre homens e mulheres ou até mesmo a paralisia do sono, esta é uma obra literária escrita a pensar na sua saúde e que está disponível na nossa loja online, aqui.

Lembre-se de cuidar de si. Se dormir o que precisa, acordará com facilidade. Dormir bem é – e sempre será – uma bênção.

Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.