Como Lidar Com a TPM?

TPM (Tensão Pré-Menstrual), qual pesadelo do Universo feminino. Estudos revelam que uma em cada três mulheres sofrem de sintomas, dos mais leves aos mais fortes, antes do período menstrual e, claro, no decorrer deste mesmo. As mudanças de comportamento acontecem, efetivamente, mas são as alterações a nível físico que mais se destacam (sensibilidade nos seios, cólicas fortes, fadiga, entre outras). Por outro lado, são também inegáveis as transformações emocionais, que vão desde a tristeza à irritabilidade.

Geralmente, esta síndrome costuma afetar-nos entre 7 a 14 dias antes de ocorrer a menstruação. Quando esta última acontece, traz consigo a cólica, na esmagadora maioria dos casos. Pelo facto de o útero desenvolver, todos os meses, o endométrio (responsável por acolher o embrião) e de o óvulo não ser fecundado, esta camada interna é eliminada, algo que nos causa dor, mais ou menos intensa, dependendo de fatores como a idade e o tamanho do útero de cada mulher.

E porque acabamos por oscilar no que aos níveis de progesterona e de estrogénio diz respeito (são eles os responsáveis por atuar na função da serotonina, um neurotransmissor associado ao humor e à sensação de bem-estar) passamos pela TPM. É aqui que se desencadeiam os sintomas que acontecem graças às mudanças hormonais que antecedem o início de cada ciclo.

A Frederica reúne, assim, algumas dicas preciosas para contornar as dores que nos afligem e os sintomas que nos afetam nas horas em que tudo o que desejamos é um chocolate! Comece já a pô-las em prática:

1. Maus hábitos alimentares são responsáveis por algumas das perturbações pelas quais passamos nesta fase. Por isso, aquilo que decidimos comer é de extrema importância também nesta altura. Importa reforçar o seu sistema com alimentos que sejam ricos em magnésio, cálcio e vitaminas do Complexo B.

2. O corpo precisa de algum tipo de atividade física para que possamos amenizar o período. Pratique exercício físico, pois dessa forma será possível a libertação de hormonas (como a adrenalina e a endorfina) que nos proporcionam um sentimento de bem-estar. Faça caminhadas, Ioga ou natação para diminuir as cólicas menstruais.

3. Ainda na temática da atividade física, saiba que o seu humor e a sua qualidade de sono podem ser melhorados através de uma prática regular de exercício aeróbico.

4. Mantenha-se hidratada. Beber muita água é fundamental para o organismo em qualquer situação. Neste caso, destaca-se o facto de este gesto ajudar a reduzir os inchaços que aqui ocorrem.

5. Existem alimentos dos quais podemos beneficiar (e muito!) para ultrapassar este momento de tormento. Peixes e frutos do mar (que contêm zinco, essencial para combater o mau humor e o cansaço); ovos (que ajudam a controlar as hormonas femininas); e bananas (que diminuem os nossos niveis de stress e de irritabilidade) são algumas das várias opções das quais nos podemos fazer valer.

6. Evite alimentos com alto teor de açúcar e de cafeína, bem como refrigerantes, gorduras saturadas e alimentos com excesso de sal e com aditivos químicos.

É também pertinente deixarmos clara a ideia de que, caso sofra de dores muito fortes, deve procurar apoio médico. Conheça o seu corpo e esteja atenta aos sintomas, para evitar diagnósticos tardios de doenças relacionadas com o sistema reprodutor.

Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.