Os 5 Pós Brancos Que Matam

É sabido que existem alimentos que, à partida, são capazes de conferir um toque especial aos nossos preparados culinários. Porém, a verdade é que, muitas vezes, acabamos por não nos consciencializarmos do perigo que colocamos na nossa mesa.

Sabemos, também, que não devemos exagerar no que toca ao consumo de alguns elementos alimentícios desprovidos de nutrientes importantes e que se situam acima das nossas necessidades metabólicas. É, claramente, incontestável que todas nós necessitamos de proteínas, de gorduras, de açúcares, de vitaminas e de sais minerais. Todavia, temos de ingerir tudo isto com sabedoria, porque todas as ações, quando praticadas em excesso, trazem consigo consequências.

Devemos ter plena consciência da extrema importância patente nos hábitos que conduzem a uma melhor alimentação e saúde, sabendo que o que comemos vai nutrir todas as nossas células, permitindo que os mecanismos do nosso organismo funcionem do melhor modo possível, evitando doenças (como a obesidade, os diabetes, a hipertensão, etc.). Vejamos, então, quais os cinco pós brancos que deveríamos eliminar da nossa vida (já) e que… têm tanto de brancos, como de prejudiciais.

Açúcar.

Se abusarmos de alimentos industrializados acabaremos por desencadear uma síndrome de bloqueio da produção de insulina, produzida no pâncreas, que é a chave responsável pela entrada da glicose (açúcar) nas células. Desta forma, o açúcar irá acumular-se no nosso sangue levando a problemas relacionados com a diabetes. Por isso, o açúcar branco é uma verdadeira droga, daí a importância de reduzirmos o seu consumo. Esta substância pode levar ao desenvolvimento de doenças metabólicas, enfraquecendo o sistema imunológico e facilitando a ocorrência de outras doenças.

Farinha.

Farinhas brancas, macias e finas podem até ser deliciosas. No entanto, nelas está também latente a ausência de fibras, de minerais, de aminoácidos e de vitaminas que estariam naturalmente presentes na farinha de trigo integral. As farinhas refinadas tendem também a aumentar o açúcar no sangue.

Adoçante.

Para quê consumir adoçantes criados em laboratório quando podemos usar adoçantes naturais? Os adoçantes artificiais não são melhores do que o açúcar e criam grandes problemas metabólicos, podendo levar ao aparecimento de diabetes.

Sal.

O nosso consumo de sal diário não deverá ultrapassar as 5 gramas. A verdade é que usamos muito sal na nossa culinária, mas a questão é que esta é uma substância que pode ser perigosa, especialmente se for sal refinado. O ideal é evitar o sal de mesa comum e optar pelo sal marinho integral ou pelo sal rosa dos Himalaias (não refinado), por forma a reduzir o risco de hipertensão e de doenças cardiovasculares. Uma boa maneira de reduzir o consumo de sal é substitui-lo por especiarias e ervas que conferem também sabor aos nossos pratos.

Cocaína.

Obviamente, uma substância que jamais deve ser consumida. Enquanto hipnoanalgésico usado nas fossas nasais, a sua absorção pelos capilares do nariz faz-se de imediato, indo diretamente para a nossa circulação, promovendo a excitação do sistema nervoso central, libertando hormonas de prazer. Tudo isto conduz a uma dependência química, que causa a inibição do centro respiratório, paragens cardiorrespiratórias e, no pior dos cenários, a morte.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.