O Valor de Saber Respirar

De acordo com todos aqueles que praticam o ioga (e já não é a primeira vez que abordamos a importância desta prática na Frederica), a nossa mente e a nossa respiração correlacionam-se intimamente. Desta feita, a melhor maneira de relaxar a mente e o corpo é assumindo o controlo total da nossa respiração. “Mas isso não é uma tarefa nada fácil”, di-lo-á. Efetivamente, é algo que requer esforço e dedicação da nossa parte, uma vez que, geralmente, não prestamos atenção à maneira de como respiramos.

É aqui que deixamos entrar a verdadeira arte da respiração que é o Pranayama. Se nos direcionarmos para as raízes etimológicas da própria palavra, entenderemos que Prana significa energia e que por isso é considerado algo universal, sendo o eixo da nossa vida. Estudiosos das técnicas do ioga dizem-nos que quando a respiração é calma, o prana (a energia, entenda-se) é calmo. Muitas pessoas respiram incorretamente sem fazerem a menor ideia de que a qualidade da nossa respiração afeta, indiretamente, a nossa qualidade de vida. A verdade é que o Pranayama pode ser uma ajuda preciosa para que consigamos controlar e equilibrar a nossa respiração, a fim de melhorarmos a nossa saúde no seu todo. Existem, portanto, três modos de o colocar em prática:

Respiração clavicular: um tipo de respiração que ocorre quando se enche a parte superior dos pulmões com ar. Devemos levantar a clavícula ao inspirar, tentando não mover os ombros;
Respiração abdominal: aqui, devemos manter os músculos do abdómen relaxados e inspirar e expelir o ar pelo nariz em todos os momentos. Se preferirmos, podemos colocar a mão na barriga para denotar os movimentos;
Respiração Torácica: respiração que produz uma expansão da caixa torácica. Devemos fazer força no abdómen e respirar para que, assim, causemos tensão nessa área, impedindo a barriga de se expandir, deixando o tórax inchar.

Se decidirmos realizar estes três tipos de respiração ao mesmo tempo, estaremos a realizar uma respiração completa, sendo esta a melhor versão possível do Pranayama. A maneira correta de obter essa respiração é começar, primeiramente, com a respiração abdominal, seguida pela torácica e finalmente pela clavicular. Desta forma, conseguiremos que os pulmões trabalhem na sua capacidade máxima.

Mas, afinal, que benefícios encontramos nesta prática? Em primeiro lugar, regula a nossa frequência respiratória e cardíaca; controla a nossa; pressão arterial; reduz os nossos níveis de stress; remove as toxinas do nosso corpo; regula e melhora o nosso humor; e melhora a nossa digestão, fomentando também a nossa imunidade.

São muito os exercícios que aqui poderão ser colocados em prática e cada um deles pode ser realizado em qualquer posição, desde que estejamos sentadas e estáveis, para que seja possível mantermos as costas retas. Numa fase inicial, recomenda-se a prática do Pranayama com a ajuda de um mestre especialista, para nos auxiliar a realizar a técnica corretamente e, desse modo, a conseguir obter o máximo de benefícios para o nosso corpo e mente. Lembre-se: para melhorar a sua saúde, aprenda a controlar a sua respiração.

Fonte: Sha Wellness Clinic
Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.