Sabe o Que Significa F.O.M.O.?

F.O.M.O., F.O.B.O ou F.O.D.A.: será que sofre de algum destes fenómenos? Calma. Não se assuste! São apenas iniciais que, em inglês, significam uma síndrome. Explicamos, de seguida, do que se trata. E, no fim do artigo, damos-lhe algumas dicas que pode seguir para começar a amenizar tudo isto que, se não for controlado a tempo, se pode transformar num grave problema de saúde.

Em 2004, o autor Patrick J. McGinnis aplicou o termo F.O.M.O. (Fear Of Missing Out – Medo de perder o que se está a passar online), ao escrever um artigo sobre a temática. Mais tarde Joseph Reagle acabou por o repetir e enfatizar, reforçando o aparecimento de outros dois termos: F.O.B.O. (Fear Of Being Off – Medo de ficar offline Ou Fear Of Better Options – Medo de estar a perder “algo” melhor) e F.O.D.A. (Fear Of Doing Anything – Medo de fazer alguma coisa).

Comecemos por falar no F.O.M.O. porque é “ele” que, muitas vezes, acaba por originar o aparecimento das outras duas síndromes:

F.O.M.O. – Medo de ficar de “fora” dos eventos que se passam online, seja a nível de stories e likes no Instagram ou no Facebook e/ou outras redes sociais. Sentimos que fazemos parte daquelas histórias e/ou fotos maravilhosas e que se não estivermos “ali” não estamos a viver esses acontecimentos. Achamos que as vidas dos outros – o que têm e fazem – são melhores que as nossas. Como tal, queremos fazer parte delas e temos de “ir”, constantemente, às redes sociais para não perder “pitada”. Vive-se, portanto, numa ansiedade constante que aumenta desmesuradamente caso não consigamos fazê-lo. Grave: caso não acedamos “lá”, achamos que perdemos um momento da nossa própria vida!

Segundo alguns especialistas, este problema não é novo e está ligado ao ciúme e inveja. Porém, as redes sociais vieram fazer com que as pessoas não só expusessem ainda mais as suas vidas como mostrassem, apenas, a parte que mais pode, precisamente, suscitar cobiça nos outros: as melhores fotos, os melhores momentos, as melhores “roupas”, etc. De uma forma geral ninguém mostra muito o que tem de “menos bom”.

F.O.B.O. – O F.O.M.O. origina o F.O.B.O. – Medo de ficar offline ou de estar a descartar (perdendo) outras “opções”. A tal ânsia de ter de “viver” muitas vezes nas redes sociais acaba por nos levar a tudo o resto que a Internet tem para oferecer. Nunca houve tanta hipótese, tanta opção, na história da humanidade. Tudo é rápido, nada demora. E o cérebro humano não tem capacidade para tanto. Assim como também não lida bem com o facto de escolher “uma coisa” entre muitas – porque temos receio de estar a perder algo melhor.

Então, começa a haver um certo “pânico” só de se pensar que se pode ficar “offline”. Porque há a sensação de que se poderá ficar sem nada. E, caso isso aconteça, a ansiedade fica ao rubro e há quem tenha ataques de ansiedade fortes e/ou tente, inclusive, o suicídio.

F.O.D.A. – (Fear Of Doing Anything) Medo de fazer o que quer que seja por excesso de opções. Tanto o F.O.M.O. como o F.O.B.O. podem originar a síndrome F.O.D.A. Quem é ansioso por natureza ou está assim porque já sofre de pelo menos uma das outras síndromes anteriores pode ter, algumas vezes, uma certa dificuldade em fazer o que quer que seja por “paralisar”, como diz o criador deste termo. Exemplo: quando se tenta escolher um filme para ver, na Internet ou noutro sítio, e não se consegue escolher nenhum porque o receio de fazer a escolha errada e perder a “melhor opção” é superior a tudo o resto. Ou procurar uma receita na Internet e acabar por não fazer nenhuma, porque as “outras” também parecem boas e «eu queria era poder fazer tudo!» etc. Acha-se que o que quer que se vá escolher pode ser sempre a escolha errada.

Factos:

  • Antes da selfie que vemos foram tiradas, aproximadamente, uma média de 4 ou 5 que não “ficaram bem”; “por trás” de um maravilhoso vídeo de uma paisagem existem, muitas vezes, pessoas que estão a chorar; “por trás” de uma “suculenta” foto de um prato de sushi no restaurante de 5 estrelas pode existir uma prestação de um empréstimo que não foi pago e assim por adiante;
  • Os jovens e homens até aos 34 anos são os mais afetados por estas problemáticas e a rede social que tem agravado estas síndromes é o Instagram. Ganha ao Facebook.

DICAS:

Estas síndromes estão ligadas a problemas de ansiedade. E a uma mentalidade que se está a perder no nevoeiro de coisas ilusórias. A sua vida, por menos boa que seja, tem, decerto, algo que é positivo.

  • Tente encontrar as coisas boas da (e na) sua vida e dedique-se a elas mais vezes caso contrário, sem dar conta, a sua vida passa ao lado e não a vive, não aprende nem evolui;
  • Se ficar offline Se o problema for acesso a documentação, passwords ou acessos a contas bancárias, comece a precaver-se não guardando tudo nas “clouds” ou nos e-mails. Continue a guardar as “coisas” e contactos mais importantes em suporte de papel;
  • A prática do Mindfulness tem sido altamente recomendada nestas situações. Isto porque todo o conceito ajuda imenso na regulação do stress e da ansiedade. Comece por técnicas de respiração (pranayamas), trabalhe a sua aceitação ao fazer exercícios de Auto compaixão e avance para uma gestão emocional diferente de forma a começar a ter mais paciência, menos impulsividade e mais tranquilidade.
1 Comentário

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.