O Natal Diferente e Vegetariano de Ana Gomes

Foi há oito anos que Ana Gomes criou o seu blogue de lifestyleA Melhor Amiga da Barbie – e desde então a sua vida não mais parou de mudar. Aos 30 anos, Ana é uma mulher de conquistas: é mãe de Vitória e leva um estilo de vida saudável e exemplar.

Por ser vegetariana e passar essa educação a quem deu vida, este Natal o que a blogger terá à mesa não será a típica ementa a que todas estamos habituadas.

A Frederica quis saber mais sobre o Natal diferente de Ana Gomes. Leia, abaixo, a entrevista na íntegra, e descubra como é possível degustar um prato diferente nesta época especial.          

Sempre foi vegetariana? Como deu início a esta fase na sua vida?

Nunca adorei carne, mas nem sempre fui vegetariana. Foi na adolescência que tomei a decisão. A minha mãe costuma dizer que tinha de me enganar para que eu comesse carne. Hoje em dia tenho a certeza de que não me teria forçado e teria respeitado essa atitude. Mas não a condeno… Também acho que teve uma mente muito aberta quando na adolescência aceitou e procurou que me informasse para ter uma boa alimentação.

Como se passa uma educação vegetariana às crianças? É um processo difícil?

Não creio que seja um processo difícil, se for feito de forma natural. A maior barreira não são as crianças, mas as pessoas que não entendem ou que não concordam. Eu costumo dar como exemplo uma coisa que é tão óbvia que por vezes nos esquecemos: as crianças não pedem nem desejam aquilo que desconhecem. Não é um comportamento estranho para mim que a minha filha me “roube” as cenouras que como ao lanche. As crianças imitam os comportamentos dos adultos, comem o que lhes é oferecido. Claro que também existe o gosto pessoal. É legítimo que as crianças não gostem de algum paladar… Mas acho que as grandes dificuldades estão fora de casa. A única vez que a Vitória pediu bolachas foi numas férias que passámos com amigos, porque passou a vê-las como algo normal e diário na alimentação dos adultos. Em casa, isso não era uma realidade. Por isso passava-lhe completamente ao lado. Nunca me pediu carne e muito sinceramente não sei bem como irei reagir. Não posso ser castradora ou fazer com que a comida seja um castigo… Até agora tem corrido tudo maravilhosamente bem. Para além de uma alimentação maioritariamente vegetariana – a Vitória come peixe na escola – também incuto uma alimentação muito natural, com poucos alimentos processados e açúcares adicionados. O snack preferido da Vi são bolachas de arroz com manteiga de amêndoa ou tangerinas. Porque é o que está habituada a comer. Tem o paladar adaptado a estas coisas. Tudo fica mais difícil se o lanche normal for um bolinho de arroz ou um pastelinho de nata…

Como é que as pessoas da sua família que não seguem o seu estilo de alimentação olham para o facto de, nesta época, não ter na sua mesa os míticos peru e bacalhau? 

A princípio era estranho para a minha família que eu “não comesse nada”, algo que não era bem verdade, naturalmente. Comia as couves, as batatas e os acompanhamentos. Isso também revelava um pouco de imaturidade nutricional da minha parte, as leguminosas importantes e não faziam parte das minhas opções. Hoje em dia já é tudo natural. Claro que ouvi piadas e comentários durante anos… Mas já não é novidade para ninguém.

Numa época festiva repleta de tradições e onde, à mesa, a cultura se baseia em alimentos como a carne e o peixe, como se adapta a ementa por forma a conseguir ter um Natal vegetariano?

Podem “recriar-se” alguns pratos, como por exemplo um tofu com broa e grelos – em vez do bacalhau. Não é muito complicado! Cada vez existem mais alternativas e sugestões. Basicamente podemos substituir as proteínas por opções vegetais e manter as mesmas receitas! É uma questão de descomplicar.

Que tipo de reações costuma obter por quem não é vegetariano e experimenta os seus preparados?

Geralmente toda a gente gosta! Mas opto por fazer pratos mais saborosos e que são apostas ganhas. Há pratos que são menos consensuais, sobretudo por causa das texturas. Evito fazer a introdução por esses. Mas isso acaba por acontecer com quase toda a gente em qualquer situação, há quem adore lasanha… Uma bola lasanha de legumes com natas vegetais é sempre uma aposta ganha, certo? Mas há ótimas saladas com abacate, grão, cogumelos… Passaria o dia a lembrar-me de receitas e a ficar cheia de apetite!

Por fim, quer contar-nos que receitas fará nesta época festiva?

Ainda não decidi! Mas possivelmente vou recriar um rolo de lentilhas e frutos secos (tipo rolo de carne) que @acozinhaverde partilhou. E também um tofu com broa e couves.

Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.