Para um Natal Light

Com o final do mês de dezembro, as ruas iluminadas, as temperaturas mais baixas e as roupas mais quentes, sente-se no ar: o Natal está mesmo à porta. Mas como sobreviver a esta época sem abdicar da tradição?

Para muitas pessoas estes dias são sinónimo de uma alimentação pouco saudável, com excessos alimentares e aquilo a que chamamos de exceção (quem já não pensou em anos anteriores algo como “é só hoje”, “um dia não são dias” ou “é Natal”?), mas que se vai repetindo dia após dia nas últimas semanas do mês de dezembro. Significa também quilos, colesterol e triglicéridos a mais. Contudo, a realidade não tem de ser necessariamente esta. Existem formas de minimizarmos o estrago na balança, na consciência e na saúde.

O Natal, que na realidade é celebrado no dia 25 de dezembro, acaba por ser um período festivo que se prolonga desde os preparativos para a consoada, passando pela passagem de ano e culminando no Dia de Reis, já no ano seguinte (6 de janeiro). Sem darmos conta passam-se, assim, mais de duas semanas e, quem sabe, arrastando-se um pouco mais, com as sobras e os convites para conseguirmos visitar todos aqueles que nos são queridos. Estas visitas são normalmente feitas à volta da mesa, com conversas regadas com bons vinhos e sobremesas melhores ainda. Depois de jantar, em convívio à lareira, vai-se petiscando um pouco, daqui e dali, entre dois dedos de conversa. Pois bem, se nesta altura não tivermos mão no excesso, as consequências podem ser terríveis e talvez entremos em 2019 com uns valentes quilos a mais.

Assim sendo, aproveitamos esta época do ano para deixar algumas sugestões para conseguirmos sobreviver a mais um natal, de forma mais saudável, com menos calorias, mas sem desvirtuar a tradição que a ele se associa.

As tradições muitas vezes ainda são o que eram e as receitas natalícias normalmente incorrem constantemente nos mesmos erros: excesso de açúcar, excesso de gorduras e calorias em demasia.

Porque não tentarmos reduzir na quantidade de açúcar utilizada na confeção dos bolos e sobremesas para ¾ da recomendada pelas receitas tradicionais? Será que sente assim tanto a diferença? Vai ver que não!

Utilize canela, que dá um sabor muito agradável, diminuindo a necessidade de açúcar. Se substituir o açúcar refinado, normalmente utilizado em cozinha e pastelaria, por açúcar mascavadofrutose ou açúcar light poderá melhorar bastante a composição nutricional das suas sobremesas. Experimente!

Os doces fritos são normalmente a grande tentação desta época… quem não tem saudades da receita lá de casa que só se come uma vez por ano? A nossa sugestão é que substitua o método de confeção pelo forno. Ficam igualmente estaladiços e crocantes, sem necessidade de adição de gordura extra.

Adicionalmente, pode trocar as farinhas de trigo refinadas pelas farinhas integrais, que são mais ricas em fibras (se por acaso achar que altera demasiado o sabor, opte por utilizar meio-meio) ou por farinhas alternativas, como farinha de centeio, de amêndoa, espelta, entre outras.

Pode ainda substituir as natas pelas suas versões light ou por iogurte natural, trocar o leite gordo pelo leite magro e ainda reduzir as quantidades sugeridas de gordura e substituir por azeite ou óleo de coco as tradicionais gorduras menos equilibradas, como a manteiga, margarina, banha ou óleos alimentares.

Estas são apenas ideias simples, mas que no fim fazem a grande diferença na multa que teremos de pagar à balança.

Ainda Sem Comentários

Comentários fechados