Journaling: Papel e Caneta Para Mudar a Sua Vida

Uma necessidade criativa, um lugar de exploração consciente, uma forma de arte por si só. Escrever pode ser tudo isto – e muito mais. Alguma vez pensou no porquê de grandes mentes da história, como Leonardo da Vinci, Isaac Newton ou Andy Warhol, terem passado grande parte do seu tempo a escrever algo que nunca iremos ter o prazer de ler?

O mundo parecia mais claro quando, em criança, mantínhamos um diário escondido, num qualquer canto recôndito ou debaixo do colchão, enquanto materialização de um confidente, onde não havia lugar para culpas ou punições. Passarmos para o papel todas as nossas emoções e tormentos era como uma espécie de catarse. Apurava os sentidos e curava a alma.

Hoje, depois de um abandono declarado às páginas que eram só nossas, o conceito não morre: ele renasce enquanto journaling. O objetivo é simplesmente escrever os seus pensamentos e sentimentos para entendê-los com uma maior clareza. Se sofre de stress, de depressão ou de ansiedade, resgatar velhos hábitos e manter um diário pode ajudá-la a melhor controlar as suas emoções e a melhorar a sua saúde mental.

Existem vários modos de transportar para o papel os sentimentos que advêm dos diversos acontecimentos da sua vida. Usar o diário como uma ferramenta para gerir o stress e o autoconhecimento funciona melhor quando feito consistentemente, mas até mesmo o diário esporádico pode ser um gancho para aliviar o que a atormenta, quando a prática existe num sentido de gratidão ou enquanto processamento emocional. Escrever detalhadamente sobre o que está a sentir e a pensar pode ser um dos melhores métodos para vencer os seus fantasmas, como se de uma terapia se tratasse (e trata…). Só as suas necessidades do momento ditam o caminho pelo qual deve optar: faça, tão-somente, o que lhe parece ser o mais acertado.

Uma das formas mais simples de, por exemplo, neutralizar o stress e a negatividade, é ter nas suas “sessões” de journaling algumas palavras sobre possíveis soluções para os seus problemas, coisas que aprecia na sua vida ou que lhe dão esperança e a fazem sonhar.

O journaling tem como objetivo ajudá-la a priorizar problemas, preocupações e medos, acompanhando o seu dia a dia para que possa reconhecer gatilhos e aprender a controlar determinadas emoções. Trata-se de uma oportunidade para uma conversa interna positiva, identificando pensamentos e comportamentos negativos.

A verdade é que é possível curar o sofrimento emocional através desta técnica: em primeiro lugar, olhe para as coisas com outros olhos, já que um caminho que parece sombrio pode tornar-se luminoso quando compreendemos que o mesmo se pode tratar de uma renovação e restauração interna; enfrente os seus medos e saiba que a resiliência é a nossa força vital, que tenta expressar-se no mundo; sintonize-se e perceba o que tem de “curar” em cada dia.

Tente escrever todos os dias e faça-o num lugar relaxante e reconfortante, enquanto bebe um chá (e que bem que sabe, em dias de inverno!). Nunca se esqueça que o está a fazer pela sua mente e corpo.

Só precisa de um papel e de uma caneta para iniciar a mudança. Embarca nesta viagem com destino a um lugar só seu?

Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.