Tampões e Pensos Higiénicos: Uma Questão de Saúde

Tampões: mini ou maxi, com ou sem aplicador, são algo que não falta nas malas das mulheres e nos armários da casa de banho. O mesmo acontece com os pensos: há sempre algum espalhado no meio das nossas coisas. Há quem não consiga usar tampões e, por outro lado, quem não os troque por pensos.

Ao longo do tempo, muito se tem discutido sobre a utilização deste tipos de produtos, uma vez que podem ser um meio favorável ao desenvolvimento de bactérias e potenciam o surgimento de infeções. Tal como acontece com os vários produtos que utilizamos, também existem desvantagens relativas ao uso de tampões e pensos higiénicos. Queremos dar-lhe a conhecer o outro lado da moeda, aquele em que provavelmente nunca pensou quando aparece a menstruação e facilmente coloca um tampão ou um penso higiénico.

A nossa pele é um dos maiores órgãos do nosso corpo e, ao mesmo tempo, um dos mais finos e permeáveis. Isto faz com que, muitas das substâncias que entram em contacto com ela, ao serem de seguida absorvidas pela corrente sanguínea, se espalhem pelo nosso organismo. No momento em que desembrulhamos um tampão e o colocamos dentro da vagina, as substâncias que se encontram nele são de imediato absorvidas pela mucosa vaginal. Isto acontece pelo facto da mucosa ser muito vascularizada, o que facilita a absorção das substâncias que entram em contacto com ela.

Isto leva-nos a pensar que, caso os tampões e pensos contenham alguma matéria tóxica, ao entrarem em contacto com a nossa pele, essas substâncias vão ser absorvidas pela corrente sanguínea e vão, posteriormente, espalhar-se pelo organismo. E será que é isso que acontece?

Infelizmente a resposta é sim… os tampões contêm dioxinas (a substância tóxica mais conhecida da atualidade) e agro-químicos. Em 2016, a associação da defesa dos consumidores francesa (“60 millions”) analisou onze marcas de pensos higiénicos e tampões. Em cinco, numa amostra de onze, foram detetados vestígios de dioxinas. Para além destas substâncias, encontraram também glifosato (um herbicida associado a doenças cancerígenas) resíduos de pesticidas e inseticidas.

Como é que isto é possível? Como é que substâncias químicas chegam até nós através de um simples tampão ou penso? Nós explicamos-lhe.

Durante o fabrico de algodão, são utilizadas grandes quantidades de pesticidas e agro-tóxicos. Os tampões são maioritariamente feitos de algodão e fibras sintéticas. Quando um tampão entra em contacto com o nosso corpo, essas substâncias químicas, como os agro-tóxicos, vão, ao longo do tempo, sendo absorvidas pela mucosa vaginal.

Agora pergunta-nos: E as dioxinas vêm de onde? Se já olhou para um tampão, sabe que estes têm uma cor muito branca. Para lhes conferir o ar branqueado, são usadas substâncias químicas responsáveis pela presença de dioxinas.

Por outro lado, caso o tampão seja aromatizado, com cheiro, o seu risco de toxicidade aumenta ainda mais. Isto acontece porque os perfumes sintéticos são constituídos por perigosos compostos orgânicos voláteis. O mesmo acontece no caso dos pensos.

Há ainda outro ponto que deve ser analisado. O interior da nossa vagina é um espaço sem oxigénio, o que limita o desenvolvimento de microrganismos e evita assim algumas infeções. Ao usar um tampão, vai entrar ar, oxigénio, e o meio natural da vagina vai ser alterado. Isto vai facilitar o desenvolvimento de microrganismos e aumentar o risco de infeções. Se é fã dos tampões super absorventes, trazemos-lhe uma má notícia. Os tampões, quando permanecem muito tempo dentro da vagina, contribuem para a formação de um ambiente confortável para o desenvolvimento de bactérias, causando assim as infeções.

Como não queremos deixá-la perdida e sem saber o que usar quando a menstruação estiver à porta, sugerimos-lhe duas alternativas aos tampões e pensos higiénicos.

 

Copo menstrual

São feitos de silicone ou látex e são uma opção fácil de usar, económica e ecológica. O copo menstrual introduz-se no interior da vagina e só necessita de ser retirado ao fim de 8 ou 12 horas. Pode adquiri-lo na farmácia ou em lojas online e o seu preço ronda os 20,00. Saiba mais sobre este produto, aqui.

 

Pensos higiénicos orgânicos

São orgânicos e mais seguros comparativamente aos pensos comuns. O seu revestimento é feito de algodão biológico certificado, o que os torna livres de substâncias tóxicas. Não têm cheiro e são 90% biodegradáveis. Pode adquiri-los no celeiro ou em supermercados biológicos.

Relativamente ao valor, são sensivelmente mais caros quando comparados aos habituais, rondam os 3,20.

2 Comentários
  1. Gostei muito, muito útil, para quem ainda não sabe o quão mal fazem os tampões e os Pensos. Agora o preço do copo menstrual está errado, é bastante mais caro, até porque quando clicamos no “aqui” remete para outro artigo vosso e aí sim já diz o preço verdadeiro.

  2. Gostaria de acrescentar os pensos de pano reutilizáveis à lista de alternativas. São muito fáceis de usar, a capacidade de absorção é equivalente aos pensos comercializados nos supermercados e afins, são mais ecológicos e são (definitivamente) mais saudáveis para o organismo.

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.