Conselhos Para Seguir Viagem Sozinha

Viajar sozinha… qual descoberta interior que enriquece a nossa paleta de emoções, enquanto expressão da liberdade humana. Pode esta experiência de crescimento ter alguma ciência por detrás? Ou será que colocar uma mochila às costas para atravessar o oceano não contempla nenhum conjunto específico de necessidades, senão a sede de vivenciar o novo? Não prolonguemos esta contenda. Estamos cá para deixar que decida as respostas por nós.

Dora Matos é a personificação do espírito de aventura – não desmedido, mas consciente e desperto, desprovido de conceitos materialistas que nos inibem. Natural e simplista, prática e sem caprichos, genuína e destemida, Dora é quem nos mostra que aos 27 anos é possível correr mundo sem medos – e mostra-o pelas razões certas. É no seu blog de vida saudável que nos convida a saber mais sobre desporto, alimentação e, claro está: viagens.

Gostar de estar parada não é algo que conste no seu livro de estilo: já esteve no México, em Cabo Verde, na Roménia e, mais recentemente, rumou até ao sudoeste asiático. O destino, esse, é imprevisível – o círculo de possibilidades não tem limite. Seguir o instinto é a única regra.

Pedimos a Dora (a Exploradora?) que desse alguns conselhos a todas aquelas que estão a pensar lançar-se para um novo lugar – sozinhas. Pode começar a planear o seu roteiro, seguindo algumas dicas fundamentais, nas palavras da blogger, a saber:

1. Prepare muito bem o itinerário e percurso e informe-se sobre o seu destino.

Explore as opiniões que existem acerca do seu destino nos blogues de viagens e no Tripadvisor (como é a zona, o que gostaria de fazer ali…). Além disso, deve perceber qual é a logística (isto é: como chega até lá, qual o tipo de transporte mais recomendado e o seu preço, a que distância fica a paragem dos transportes do seu hotel…). Ter isto previamente organizado vai fazer com que se sinta mais segura e mais descansada quando chegar ao destino. Além disso, também lhe fará ter noção dos detalhes e é mais difícil ser enganada à chegada. Tudo pode acontecer, por isso vá prevenida!

2. Confie nos hotéis, não nos serviços de rua.

Pedir conselhos nos hotéis é sempre uma boa estratégia. Eles conhecem a zona e querem que os clientes estejam satisfeitos e contentes. Além disso, também vão gostar de ter uma boa review. Por isso, é bem mais provável que lhe facilitem mais contactos de confiança e de qualidade do que na rua. No caso dos transportes, por exemplo, antes de se deslocar para o destino seguinte peça sempre conselhos ao seu hotel. Lembre-se de que nem todos os países dispõem de oferta de transportes públicos, como está habituada no Ocidente. Em Bali e em outras ilhas da Indonésia, por exemplo, não existem os autocarros que estamos habituadas a ver. Estes são carrinhas privadas de dez lugares (e às vezes nem isso) e normalmente têm de ser reservadas com alguma antecedência.

3. Vá sempre com (pelo menos) uma noite reservada.

Ter a reserva feita é ter a certeza de que vai chegar ao hotel e de que vai ter onde dormir nessa noite. Além disso, alguns hotéis têm a opção de cancelamento gratuito. A aplicação Booking é outro grande amigo durante as viagens!

4. Cartão SIM: um must-have!

Numa época em que estamos constantemente à procura de informação, é imprescindível viajar com Internet no telemóvel. Pode ajudar muito e evitar muitos problemas e perdas de tempo. É essencial investir num cartão SIM (no Sudoeste Asiático, por exemplo, são bem económicos.)

5. Power bank, sempre!

Ficar sem bateria é coisa própria do século XXI (com tantos gadgets!). Mas é impensável para alguém que viaja sozinho pelo mundo. Não podemos deixar a bateria do telemóvel morrer quando viajamos sozinhas. O telemóvel vai ser sempre “o nosso fiel amigo e melhor conselheiro”. Mas não se esqueça de se “desligar” das tecnologias de vez em quando. Também é imprescindível para poder desfrutar da sua viagem.

6. De noite, todos os gatos são pardos!

Evite chegar a um destino desconhecido de noite. Por muito que saiba “mais ou menos” onde se encontra o hotel, é sempre desconfortável chegar a um sítio novo de noite, não concorda? Pode causar-lhe insegurança e mau feeling. Além disso, pode constituir um perigo real (não quer dizer que aconteça, mas pode acontecer).

7. Descarregue um mapa de cada cidade que visitar.

É sempre uma aposta segura… e grátis! A aplicação Maps.me funciona offline e é uma ótima recomendação para ter no telemóvel, não vá o diabo tecê-las e fique perdida. É super útil para quando chega a uma nova cidade, quando ainda não comprou um cartão SIM e ainda não tem Internet para pesquisar nenhuma informação. Uma app top! 

8. Siga o seu instinto.

Há ruas e pessoas que não nos inspiram. Tente não passar em ruas escuras. Se vê que alguém não é de confiança, tente escapar. Mas, sobretudo, siga o seu instinto. O instinto é o que nos serve para a sobrevivência pessoal.

9. Fale com as pessoas.

Ao falar com as pessoas irá partilhar ideias e experiências! É sempre gratificante.

10. Vista-se de acordo com a cultura da zona.

Calma! Não precisa de vestir uma burka. No entanto, a maneira como se veste pode ser chamativa e, por vezes, um motivo de assédio na rua, e isso não é muito agradável porque lhe pode causar desconforto e mau-estar. É triste e revoltante, mas devemos pensar que há países onde o machismo impera e onde a mulher ainda é vista como um mero objeto. Leve uma saia pelos joelhos e um casaco de malha pequeno, que tape os ombros (isto deve cumprir-se principalmente quando se visitam templos).

11. Leve carta de condução internacional! 

Pode ser necessário. Se a polícia a mandar parar sem ter este documento, é possível que a multe, e isso não é agradável.

12. Leve uma mochila em vez de mala de rodas.

Uma aventureira não anda com mala de rodinhas vida fora. Se for numa viagem longa, opte por levar uma mochila, já que é mais prática de transportar. Ah, e leve só o necessário lá dentro! Importante: a roupa lava-se, lembre-se disso! 

13. Leve cartão de crédito.

Não pode viajar sem cartão de crédito. Serve para qualquer urgência, é essencial!

14. Minta, se vir que é preciso.

Se se sentir “apertada” em algum momento, minta e diga que não está sozinha. 

15. Nunca leve o passaporte consigo a passear!

Este documento é, provavelmente, o mais importante que tem na carteira. Sem ele não faz nada, literalmente. Pedem-lhe este documento para passar nas fronteiras entre países, no aeroporto (claro), nos hotéis… Por isso, o melhor é deixá-lo no hotel, dentro da mala (fechado com cadeado) e dentro de um cofre (se houver).

16. Leve dois cadeados (no mínimo) e feche sempre a mala antes de sair do hotel.

Para o caso de um se perder, tem o outro. Antes de sair à rua, não se esqueça de fechar a mala com cadeado e, se possível, colocar as coisas de valor num cofre.

17. Leve os documentos todos impressos e duplicados.

Leve uma cópia do passaporte e do Cartão de Cidadão, pelo menos, além dos originais, claro. Além disso, envie cópias scaneadas para o seu e-mail e para o e-mail de algum amigo ou familiar.

18. Envie a sua localização para um amigo.

O Whatsapp tem uma opção muito boa e segura, que é “partilhar localização com um amigo” (pode decidir se partilha durante 15 minutos, 1 hora ou 1 dia). Se tiver Internet, vai estar sempre localizada porque a app acompanha-a em tempo real e a pessoa com quem partilha vai saber, em tempo real, onde está.

19. Apps que não podem faltar no telemóvel: Booking, Tripadvisor, Maps.me, Google Maps, Gmail, Whatsapp.

Estamos perante um conjunto de conselhos de uma blogger que aprendeu, por si, o verdadeiro desafio que é entregar a alma a essa experiência que é explorar os continentes. Nas palavras de Dora, estas são “dicas baseadas na sua própria experiência, para que a sua viagem seja mais segura e agradável!”.

E então? Preparada para a aventura? O mundo está à sua espera.

Instagram: @doramatosblog

Facebook: @doramatosblog

 

2 Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.