Animais, Símbolos de Amizade Eterna

Existe um sem-número de boas razões para termos na nossa vida um companheiro leal para todas as horas, como qualquer animal consegue ser. Quem tem animais consegue compreender, por inteiro, a capacidade que estes têm para sentir emoções, no seu âmago, tal como nós as sentimos também.

Inestimável… Só assim conseguimos qualificar o amor que estes seres são capazes de nos transmitir, através da sua energia e vibração próprias, numa expressão de pureza inenarrável. Podemos até não falar a mesma linguagem, mas o seu entendimento e a sua leitura do nosso estado de alma está lá – sempre.

Seriam necessárias muitas palavras para descrever toda a alegria que um animal consegue transmitir-nos, curando o nosso corpo e mente. Quer tenhamos um cão, um gato, um coelho ou até mesmo um peixe ou um pássaro, existe uma garantia transversal: a sua companhia. De um modo ou de outro, eles estão sempre por perto, numa presença incondicional, sem exigências ou cobranças.

E, se existe ensinamento que os animais partilham connosco, é o de como aprender a cuidar do outro, sem esperarmos nada em troca. Para além de ajudarem a desenvolver anticorpos quando, em crianças, nos relacionamos eles, os animais detêm também um poder terapêutico sobre nós, já que quando os acariciamos elevamos os nossos níveis de imunoglobulina A (anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação de vários tipos de vírus e de bactérias). A acrescentar a tudo isto, surge o facto de estes conseguirem alterar a nossa rotina e tornar a nossa vida mais ativa, pois no momento em que levamos o nosso cão à rua, por exemplo, estamos também a exercitar-nos e a deixar para trás o sedentarismo.

Vivem-se tempos onde a depressão e a ansiedade parecem ter-se instalado. Trata-se de uma matéria delicada, mas onde o papel do animal pode ser crucial, uma vez que a relação que com ele construímos pode ajudar a reduzir os nossos níveis de stress e aumentar a nossa alegria e propósito de vida.

Uma outra questão sobre a qual importa refletir remete-nos para a importância de tratarmos o nosso animal de estimação como ele merece: onde prevaleça o respeito, o carinho e o amor. É importante estabelecermos uma relação saudável com ele, e não tratá-lo como se este viesse preencher algo que se encontra vazio na nossa vida, ou até mesmo encará-lo como um filho.

A sanidade e o equilíbrio são dois requisitos chave para que possamos ter nas nossas vidas um elemento de quatro patas. Adotar uma nova companhia deve ser uma escolha consciente, sendo que devemos preparar-nos convenientemente e reunir as devidas condições para lhe oferecer uma vida digna. Abandoná-lo não pode, nunca, ser uma opção.

Os animais são dependentes de nós, por isso é importante estarmos consciencializadas do sentido de compromisso que esta decisão envolve. Devemos estar cientes de que o animal precisa do nosso tempo, de atenção, de idas ao veterinário e de alguém que possa tomar conta dele quando formos de férias. Todas estas variáveis devem pesar no momento de trazermos este novo morador para a nossa casa – preferencialmente, através da adoção, já que existem muitos cães a precisar de um lar – que quer seja de porte pequeno ou grande, nos dará amor de igual modo. A ligação que criará connosco e o sentimento de gratidão serão algo verdadeiramente especial e, como é óbvio, independerá da sua idade ou do seu aspeto.

Hoje – Dia Mundial do Animal – honramos todos esses seres que acompanham esta nossa jornada que é a vida, sugerindo-lhe que apoie também algumas instituições que zelam pelo seu bem-estar, como é o caso da Associação Zoófila Portuguesa, da Sociedade Protetora dos Animais (SPA), da Associação Animais de Rua e da SOS Animal.

Longa vida ao nossos “bichos”!

 

Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.