Porque é Tão Encantadora A Costa de Amalfi?

Verdadeiro Paraíso na terra; destino quintessencial, onde o mar se encontra com o céu – talvez seja esta a definição que melhor qualifica essa morada dos deuses que é a Costa de Amalfi, em Itália.

Alma livre de viajante, que sonha escapar-se por entre recantos italianos nas horas esquecidas, já se perdeu (com certeza) nos seus pensamentos, mergulhando em imagens idílicas e pitorescas desse sonho amalfitano que não quer calar.

Profundezas ocultas e paisagens naturais, já de si perfeitas, que constantemente desafiam as nossas emoções e sentidos – ainda que apenas através de galerias do Pinterest, para quem nunca pisou o chão de Amalfi – transportam-nos para a sensação de que precisaríamos de uma vida inteira para descobrir o litoral de Itália.

Encostas verdejantes – munidas de edifícios em tons pastel que se encontram com o mar Tirreno – montanhas que sobressaem por entre profundidades marítimas e vilas medievais que respiram história são apenas alguns dos motivos para esta costa do sul italiano ser Património Mundial da UNESCO.

Indo desde Punta Campanella a Salerno – compreendendo lugares emblemáticos como Positano, Amalfi, Ravello e Praiano – a costa amalfitana reúne alguns dos melhores hotéis e restaurantes do país, deixando-os tirar partido das falésias imponentes onde estão empoleirados e das vistas soberbas que os embelezam ainda mais.

Caso este destino se afigure num dos seus planos futuros, convém esclarecermos algumas questões:

Como chegar à Costa de Amalfi?

Uma das melhores opções é apanhar o voo Lisboa-Nápoles e alugar um carro nesse terminal, já que fica mais perto do destino. Todas as cidades da costa estão interligadas pela Strada Statale 163, que pode ser considerada uma das mais bonitas do mundo, mas também uma das mais perigosas, graças às suas muitas curvas.

Qual a melhor altura do ano para seguir viagem?

Durante o mês de agosto, no verão, esta é uma zona muito concorrida por turistas. Por isso, fica a sugestão de partir na primavera ou no outono, onde o clima é também temperado. De acordo com o site positano.com, os melhores meses situam-se entre abril e junho, quando começam a espreitar as cores e os perfumes primaveris e, onde (com sorte) poderá ir a banhos.

Onde se hospedar?

Ainda de acordo com o site positano.com, se dos seus planos fazem parte os passeios, duas das melhores cidades para tal são Positano (que abriga o hotel Le Sirenuse) e Amalfi; se for adepta da tranquilidade e se o seu objetivo for descansar, pode optar por Praiano (há quem diga que este é um tesouro escondido da costa!), por Ravello, ou por pequenas vilas como Conca dei Marini. Poderá, também, alugar um apartamento ou ficar num dos muitos hotéis disponíveis. Porém, uma opção mais económica são os Bed & Breakfasts.

Onde comer?

Existem alguns restaurantes icónicos como o Da Ciccio Cielo Mare e o Terra e o Sensi Restaurant, ambos recomendados pelo TripAdvisor. No que diz respeito à gastronomia, o limão e o marisco são praticamente omnipresentes; os gelados, esses, recomendam-se vivamente.

E a vida noturna, como é?

A noite da costa amalfitana orbita em torno de Positano. Na Buca di Bacco, por exemplo, podemos ter uma happy hour num pátio que se estende até à praia. O Le Terrazze, o Le Tre Sorellee e o Chez Blacksão são outros dos lugares também eles aprazíveis para pernoitar. Obrigatório é o night club L’Africana, em Praiano, construído dentro de uma gruta, quase na altura do mar – para dançar ao luar!

Nesta descoberta de praias recônditas e de caminhos secretos, deixamo-nos levar por paisagens naturais saídas de um sonho, com cheiro a mar (e a limão). É o sabor da dolce vita, cheio de histórias para contar.

Ainda Sem Comentários

Deixe uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.