LESS ONLINE

LESS ON-LINE, MORE ON-LIFE

Redes sociais… quais entidades detentoras de poder, enquanto linguagem da alma humana. Cheias de si, chegaram para tomar conta de nós e das nossas vidas. Muitos são os momentos que consideramos merecedores de ser partilhados com o mundo, e tantos outros despertam em nós o apetite voraz de serem descobertos. Para mal dos nossos pecados, a verdade é que este é um universo que tem tanto de real, como de ilusório – afinal, se a Internet acabar amanhã, quem seremos nós?

Neste lugar pertencente a uma nova era, o Instagram sobreleva-se: quantas vezes consultaram o vosso feed hoje? E o moral do Facebook? E, de todas essas vezes, em quantas deram por vós a debruçar-se sob as mesmas publicações?

Ao contrário do que possa parecer, estas constatações não representam qualquer desprimor à Internet, até porque todas precisamos dela, omnipresente, tal como é. O smartphone, esse, junta-se a esta enquanto parte integrante da nossa rotina, tanto social como profissional. Dito isto, é exatamente para este ponto que pretendemos chamar a vossa atenção, para que passem menos tempo focadas nesta realidade paralela e mais tempo offline.

Porque muitas vezes não nos consciencializamos do tempo em que o pequeno ecrã nos priva de vivermos (no verdadeiro sentido da palavra), aqui vos deixamos algumas sugestões, para que possam aproveitar, de um modo mais autêntico, a vida real:

 

– Primeiramente, contem o tempo que passam na Internet e o número de vezes em que agarram o telemóvel para checkar as redes sociais (sem contar com o tempo em que a usam em trabalho, claro). Acreditem: ao final do dia irão concluir que, em 24 horas, o tempo passado a olhar para o telemóvel poderia ter sido melhor aproveitado.

 

– Tornem o acesso ao smartphone e às próprias redes sociais mais difícil.

São daquelas que acordam e, ainda antes de se levantarem, já estão a fazer scroll no feed do Instagram? Se sim, deixem o smartphone longe da cama – mesmo que o vosso despertador seja o próprio telemóvel.

É normal, e ajuda a passar o tempo, ver os e-mails e as redes sociais quando estamos à espera do autocarro ou noutros momentos rotineiros. Porém, fará sentido irmos ao Facebook durante um café ou até mesmo quando estamos no sofá a ver um filme?

Mais: não memorizem as palavras passe das vossas redes sociais no smartphone. Além de ser mais seguro, vai certamente evitar que visitem três vezes o Facebookno espaço de uma hora.

 

– Obtenham notificações apenas para o importante.

O telemóvel dá sinal sempre que recebem um e-mail? Mesmo que seja uma newsletter pela qual nutrem pouco interesse? Decerto que esta não será nada que precisem de ler na hora, mas fará com que peguem outra vez no telemóvel. E já que ele está na mão…

Esta regra também se aplica às redes sociais. Certamente que teremos sempre curiosidade em ver os comentários recebidos àquela foto que acabámos de publicar. No entanto, até que ponto não será preferível ler tudo com calma, numa altura mais apropriada para tal?

 

– Vivam a vida fora dos ecrãs.

Existem aplicações que nos ajudam muito no dia-a-dia, é certo. Porém, em vez de irmos de imediato ao Google Maps, por que não perdermo-nos um pouco pelas ruas da cidade?

Na mesma linha de pensamento, ao invés de nos dirigirmos a sites que opinam acerca de restaurantes, há que solicitar sugestões nos locais da zona que estamos a visitar.

Por vezes, estamos tão agarradas aos smartphones, que deixamos que nos passe ao lado o que verdadeiramente importa. Em vez de um comentário carinhoso à nossa amiga que acabou de publicar uma fotografia nova, talvez valesse mais a pena encontrá-la pessoalmente e colocar a conversa em dia.

Ainda que seja absolutamente inegável o modo de como o mundo virtual se instalou no nosso quotidiano, tal facto não significa que tenhamos de apagar todas as nossas contas e passar a usar um daqueles telemóveis que só servem para chamadas e mensagens. Portanto, para as eternas viciadas, deixamos uma dica especial:

 

– Façam um detox!

Passar um dia inteiro sem aceder à Internet (fora do trabalho): aceitam o desafio?

Nos momentos de pausa, levantem-se da secretária e optem por um passeio, nem que seja apenas para beber um copo de água ou para dar dois dedos de conversa a algum colega. Desta forma, irão perceber que existe um sem-número de pessoas e de situações bem mais merecedoras da nossa atenção do que um qualquer aplicativo do nosso telefone.

Virtualmente, tudo é volátil. Há todo um universo por viver, para lá da atmosfera online. Há que valorizar o palpável, já que é nele que mora a verdadeira felicidade – longe do superficial, bem perto do indispensável.

 

No Comments Yet

Comments are closed