BLOG ME BABY

A Lucky fê-lo primeiro. A Vogue fê-lo depois. Mas fará ainda sentido colocar uma blogger na capa de uma revista?

Por algum motivo não havia sido tentado antes. Chiara Ferragni, a fundadora de The Blonde Salad, é a primeira bloguer na capa de uma edição da Vogue.

Quem se chegou à frente foi a edição espanhola, com uma vénia a uma democratização da Moda que já carrega aos ombros vários anos de batalhas. E de mutações. Isto porque, quando Ferragni lançou a sua morada online, em 2009, era uma miúda gira com pumps e carteira Chanel. Só que, em 2015, Chiara já publicou um livro, foi rosto da Guess, desenhou linhas para a Superga e para a Steve Madden, tem a sua marca de sapatos e agência de consultoria criativa – TBS Crew. E não só.

As plataformas digitais revolucionaram a definição de estilo, o estatuto de celebridade, a posição de modelo. É por isso que Ferragni chegou à Vogue Espanha (por isso e pelos quase quatro milhões de seguidores que possui no Instagram, qual publicidade imediata): porque é uma mulher de negócios; um fenómeno de popularidade que, em setembro de 2014, já gerava receitas de quase 8 milhões de dólares (cerca de 7,4 milhões de euros). Registar um domínio passou a ser uma porta direta para o mundo do empreendedorismo e transforma um blogue naquilo que nunca tinha sido antes: uma marca.

No Comments Yet

Comments are closed