O Barato Que Sai Caro

A fruta é adorada por muitos, por ser doce e sumarenta. Mas e se esta não souber a nada? Hoje em dia acontece comprar-se fruta que parece perfeita por fora, mas que por dentro… não sabe a nada. Muitas vezes nem sequer tem cor. Façamos uma descoberta daquilo que deve saber para escolher a fruta.

Morangos que são encarnados por fora e brancos por dentro não valem a pena. A cor encarnada é dada pelos antioxidantes, o que quer dizer que os morangos se encontram sem esta mais-valia. Perdem todo o interesse, certo? O truque para os escolher não é olhar para o preço ou para a cor.

Toda a fruta respira, e nessa respiração produz etileno, que é um gás que também liberta o cheiro da fruta. Isto acontece depois desta ter amadurecido minimamente, estando pronta para ser consumida.

A fruta que ainda foi apanhada verde e que (na maioria dos casos) não consegue amadurecer fora da árvore (provavelmente congelada para ser posta à venda meses depois), não tem cheiro. Devemos cheirar praticamente todas as frutas: a meloa, o pêssego, o alperce, a pera, a maçã, o ananás, a manga, a papaia, o kiwi, as cerejas, a tangerina e a laranja.

Aqui entra, obviamente, a fruta biológica. A grande maioria vem de uma produção que respeita o amadurecimento. Informe-se sobre as quintas portuguesas que produzem e entregam fruta biológica. Normalmente têm preços mais simpáticos e têm sempre fruta da época.

Não se esqueça: Uma boa fruta tem de ser doce, ter sabor e cheirar bem!

Ainda Sem Comentários

Comentários fechados